-->

21 outubro 2013

Kimi no Iru Machi - Mangá Vs Anime




Olá a todos, Kico7 aqui novamente. Como prometido em minha resenha de Kimi no Iru Machi, estou aqui para escrever minha opinião sobre o anime como fan do mangá. Jeguy Hope é quem postaria neste fim de semana, mas como eu não poderei postar em minha data prevista (próximo domingo, dia 27 de outubro de 2013) eu pedi para que ele trocasse comigo.

 Me perdoem se eu, eventualmente, me exaltar, no caso de alguém se sentir ofendido ou tiver objeções em relação ao meu argumento, sinta-se livre para argumentar nos comentários.

Relembrando, Kimi no Iru Machi é um anime/mangá de comédia, drama e romance. Acompanhando desde a época escolar do casal até a fase adulta (recentemente no mangá). Os roteiristas do anime tiveram por escolha adaptar a fase entre fim do colegial/Ensino Médio e e início de faculdade.

Este post será menos técnico em relação ao anterior, colocarei minha opinião mais abertamente e partirei do pressuposto que os leitores (pelo menos) leram o mangá de Kimi no Iru Machi até onde o anime acompanha (aproximadamente capítulo 141). Já aviso que haverão SPOILERS em todo o post, por isso o fiz separado do post de "leigo".



Em minhas primeiras impressões do anime citei minha divisão subjetiva da história, sendo ela em duas partes, sendo a segunda sub-dividida em três, da seguinte forma:

1- Arco de Hiroshima (capítulo 1-79)
2- Arco de Tokyo
2.1- Ensino médio (capítulo 80-109)
2.2 - Faculdade (capítulo 109-142)
2.3 - Fase pré-profissional (terminando agora no mangá)


O anime, por outro lado, segue outra linha:

1 - Presente - Arco de Tokyo (ensino médio); Passado(flashbacks) - Arco de Hiroshima (episódio 1-7)
2 - "Futuro" - Arco de Tokyo (Faculdade) (episódio 8-12)


Fica visível que o anime omite e pula muitos acontecimentos para sua execução. Incrivelmente, a história continua compreensível, por uma ligeira competência dos roteiristas e graças a "independência" que possuem alguns dos arcos do autor, Seo Koji. Se bem observado, o início de todo arco é independente (início da escola, faculdade e trabalho), é claro que para compreender e e apreciar totalmente os sentimentos dos personagens seria bom que a obra como um todo fosse lida.


Arco de Hiroshima:



Abordado de forma bem breve e corrida no anime, durou 79 capítulos e trabalhou muito delicadamente o triângulo amoroso, até então o foco da história, entre Yuzuki (mocinha da capa) x Haruto (mocinho da capa) x Nanami (primeiro amor do mocinho no mangá). Fica bem claro desde o início que ele gostava de Nanami já fazia um tempo, e a mudança de Yuzuki para a casa dele, no início da história, trouxe certos problemas para que Haruto cortejasse sua (até então) moça amada. Após algumas revelações do passado e uma boa convivência com Yuzuki, todos perceberem que Haruto gostava realmente de Yuzuki.


Comparando:

No anime, fica apenas implícito que Haruto e Yuzuki namoraram no fim da estadia dela em Hiroshima. No mangá, mostra uma série de mal entendidos e até um "competidor" para Haruto. Afinal, Haruto não era o único que gostava de Yuzuki. Outro detalhe é quando ambos perdem contato, basicamente durante o fim do arco, onde Nanami fica sabendo da "triste" notícia e resolve consolar Haruto, sem muito sucesso. E após a "carta" deixada por Yuzuki, citada na música de encerramento do anime, ser encontrada por ele e Nanami, este resolve ir para Tokyo atrás de sua namorada. A carta possuía palavras cruéis para Haruto, terminando com ele o namoro sem muito ressentimento e dando uma justificativa questionável. Porém, isso preocupou Haruto e fez com que ele fosse atrás dela em Tokyo.

No mangá, Haruto a princípio era indiferente com Yuzuki e muito apaixonado por Nanami, enquanto o anime deu uma forte impressão de que Haruto teve um "amor a primeira vista" por Yuzuki quando ela chegou em sua casa e seus sentimentos por Nanami pareceram mais superficiais. Alias, toda a relação dele com Nanami foi omitida no anime. Claro que isto foi uma maneira de afirmar que Yuzuki sempre foi o único amor de Haruto, uma decisão dos roteiristas que divide opiniões.


Arco de Tokyo (ensino médio)





A primeira parte do arco de Tokyo, que no mangá durou do capítulo 80 até o 109, foi adaptada na primeira metade do anime. Este arco se passa quando Haruto se muda para Tokyo para encontrar Yuzuki, com quem perdeu contato. Simultaneamente ele faz novos amigos, Asuka e Kazama, a primeira uma mocinha de outra região do interior, o segundo um jovem mulherengo. Esses dois possuem uma grande importância no arco, sendo que Kazama se torna protagonista em seu decorrer.

Comparando:

Haruto e Asuka no fim do arco do ensino médio


Haruto e Asuka no fim do arco do início da faculdade


O anime omitiu a maior parte das piadas do arco e deixou as poucas piadas que sobraram "melancólicas", vulgo a cena em que Asuka e Haruto se conhecem. Relembrando, quando se mudou, ele morou no apartamento de sua irmã mais velha, e em seus primeiros minutos no local foi atacado por uma garota vestindo um capacete de motoqueiro e usando um taco de beisebol. Esta era Asuka, a vizinha, pensando que Haruto era um ladrão. Como já disse nas "primeiras impressões", no mangá a cena é histérica, rápida e hilária, enquanto no anime é incrivelmente devagar, calma e "triste", passa até uma sensação de falta de seriedade nos personagens na cena.

Vale lembrar de algo que foi omitido no anime. No mangá, no primeiro capítulo do arco (80) quando Haruto estava no caminho para Tokyo, ele comeu um biscoito da sorte e leu que teria sorte para um novo amor, e foi no exato mesmo capítulo que ele conheceu Asuka, naquele cômico e histérico encontro do destino.

O fim do arco em questão foi quase totalmente pulado no anime. Este mostrava como Haruto e Asuka se aproximaram mais eventualmente se apaixonando o que fez com que Haruto decidisse seguir em frente após se separar definitivamente de Yuzuki. Sem dúvidas um dos momentos mais surpreendentes e tocantes do mangá, com Haruto deixando as inseguranças de lado e mostrando ter, possivelmente, mudado e amadurecido. No anime foi decidido pulá-lo, novamente em uma tentativa de provar que Yuzuki foi única mulher que sempre esteve definitivamente no coração de Haruto. A adaptação mostrou, alterando o cenário do apartamento do Haruto para uma praça qualquer, a declaração de Asuka, mas ficou por isso, não mostraram como os dois se aproximaram, tentaram evitar se envolverem demais até, enfim, resolverem ficar juntos.

Comentário pessoal: O final deste arco mostrou Haruto superando seus traumas e decidindo amar mais uma vez, somado com ele, aparentemente, fazendo as pazes com o falecido Kazama com quem teve uma grande briga durante seus últimos dias de vida. Isso, fez um final ideal para o arco e até mesmo para o mangá. Com a estreia do anime, ganhei esperanças da adaptação escolher concluir a história neste ponto, mas escolheram justamente ignora-la e escolher outro trecho do mangá como final, para minha infelicidade.

Dei forte ênfase no argumento de terem reduzido as relação de Haruto com outras moças e dado só ênfase em seus sentimentos por Yuzuki, pois o próximo arco a ser citado é o mais polêmico do mangá.


Arco de Tokyo - Faculdade




Dois anos após o fim do arco anterior, Haruto está namorando Asuka e vivendo pacificamente sua vida de universitário, agora com seus amigos de Hiroshima, que também se mudaram para Tokyo para o ensino superior. Haruto se mete em muitos apuros neste início de faculdade, com muitos maus entendidos e acontecimentos cômicos que ele teve de passar com Asuka, sempre terminando surpreendentemente felizes. As coisas mudariam completamente quando Yuzuki, a ex-namorada de Haruto (e protagonista do anime/mangá) retornasse.

O arco que mais agradou e mais desapontou este jovem blogueiro. Com um começo cheio de momentos cômicos, preocupantes e tranquilos, e a nova protagonista feminina, Asuka, fazendo seu trabalho com perfeição, mostrando ser engraçada, compreensiva e proporcionando muitas risadas. Ela e Haruto vão, com o passar do tempo, fazendo planos para o futuro, se aproximando cada vez mais, criando um laço cada vez mais forte, com muitas promessas e palavras bonitas. A história flui tão bem que é até possível esquecer a carismática protagonista Yuzuki (mocinha da capa), no entanto, para a alegria ou tristeza de muitos, ela acaba retornando eventualmente e deixando os sentimentos de nosso herói totalmente confusos.

Serei um pouco inflexível agora, mas digo que Seo Kouji, autor do mangá, cometeu alguns erros de coerência nesta parte da história. Personagens fictícios em geral não conseguem ter a mesma complexidade que um ser humano verdadeiro, então uma vez ditos e mostrados seus sentimentos, é difícil que mudem mesmo que um pouco. No caso, ocorreu uma mudança brusca em todos os sentimentos e pensamentos de Haruto. Ficou claro que rever seu antigo amor deixou-o confuso e somando com a maneira como Rin, a irmã manipuladora de Yuzuki, o provocou, era coerente alguns sentimentos estranhos passando por ele.

No entanto, ele simplesmente aceitou um encontro com Rin após esta provocá-lo; aceitou um encontro com Yuzuki, a ex-namorada; voltou para Hiroshima sabendo que Yuzuki estaria lá; foi a um festival com Yuzuki (outro encontro); declarou palavras de amor ("não vá mais para lugar algum") para ela; mentiu para a namorada. Alguns sentimentos confusos seriam coerentes, afinal o romance que ele passou com Yuzuki no passado foi realmente forte, mas estes "deslizes" seguidos foram todos prova que o respeito e carinho que ele tinha por Asuka desapareceram ou nunca existiram. Promessas foram feitas e quebradas, pode-se concluir que elas nunca foram sinceras ou simplesmente foram esquecidas.

Onde está a incoerência? No mangá e somente no mangá, é mostrado como Asuka e Haruto desenvolveram uma relação de confiança e carinho. Haruto afirmou seu amor por Asuka no fim arco anterior e teve isto reafirmado por atitudes e palavras durante os dois anos de namoro. Houveram promessas sinceras que foram quebradas em questão de 5-10 capítulos de história. Leitores tiveram esperança que ele relembraria tudo o que passou com Asuka e continuaria seguindo em frente, mas como a história acabou?

Haruto simplesmente terminou com Asuka e voltou para Yuzuki. O fim deste arco, sem dúvida, foi antagônico com o final feliz do arco anterior, em que Haruto havia prometido jamais deixar Asuka ir.

Seo Kouji errou em duas coisas neste arco, primeiro, deixou a relação de Asuka e Haruto se aprofundar demais, tornando os sentimentos dos dois convincentes; segundo, ficou claro que ele só forçou a reviravolta do retorno de Yuzuki por querer ela como protagonista novamente, destronando Asuka e a fazendo cair no esquecimento (sim, ela só teve raras aparições desde então).


Comparação



O anime, para amenizar a culpa de Haruto, omitiu o período da história em que ele e Asuka namoraram, iniciando o arco a partir do capítulo 118 (pulando os 8 capítulos iniciais). Ignorou também os detalhes dos planos da viagem dele com Asuka. A questão da confiança que ela tinha com ele foi menos aprofundada.

Sobre a questão da confissão de amor de Yuzuki para Haruto durante o festival em Hiroshima, não houve fortes diferenças, mas algumas sensações estranhas ao assistir. Do mesmo jeito que no arco anterior do anime, as cenas supostamente engraçadas eram devagar e "tristes", nesta cena o anime reforçou a ideia de a cena de Haruto se declarando para Yuzuki ser uma cena bela, com uma animação melhor que o normal para o anime e uma bela trilha sonora colocada. Como disse na outra resenha, não pude evitar de interpretar esta cena como uma aceitação e aprovação da traição de Haruto e que, neste aspecto, achei School Days (anime imparcial neste ponto) mais justo.


Conclusão:

 O mangá foi uma obra agradável apesar de seu grande deslize no arco de Tokyo, houveram muitos momentos marcantes e bonitos como no mangá de mesma autoria, Suzuka. O anime tentou evitar o impacto dos deslizes reduzindo os motivos para o mesmo, mas fazendo isso excluíram o que o mangá teve de melhor, os momentos em que o mocinho, Haruto, mostrou ter qualidades. Tendo atitudes decididas e confiantes. O momento de sua "traição" foi um grande deslize no mangá, mas no anime foi intensificada com a tentativa de santificarem isto.  No final de tudo, não foi um anime que agradou tanto, mas teve boas intenções.

9 comentários:

  1. ^_^ Kico 7!


    E NÃO É QUE PUBLICOU mesmo uma resenha NUMBER TWO de Kimi no Iru Machi[PROMESSA VIROU DÍVIDA??].E como vi,pela data,tu e Jeguy Hope escambaram realmente nas postagens.De resto," Me perdoem se eu,eventualmente,me exaltar,no caso de alguém se sentir ofendido ou tiver objeções em relação ao meu argumento,sinta-se livre para argumentar nos comentários." <= Fez-me pensar que o FAN MODE é como estar numa TPM,variando entre LEVE,MODERADO E EXTREMO.
    E DO ENREDO,O ESPERADO é o COMING OF AGE["Acompanhando desde a época escolar do casal até a fase adulta (recentemente no mangá)"],que é uma das grandes propagandas da ficção,ao lado do ser jovem/manter a mesma idade FOREVER,FOREVER TOGETHER(Já que os grupos não se modificam totalmente).
    E ANALISANDO INTERCALADAMENTE:
    FLASHBACKS PARA COBRIR 79 capítulos exibidos entre 7 episódios,aparenta ser muito condensado,mas tem aquilo de execução do diretor que atenua(ou não).Obrigando a ler nas entrelinhas;onde nem todos estão dispostos ou hábeis para desempenhar essa função mastigatória que não envolve muito afobação. =|
    SOBRE AS IMAGENS & ARCOS:
    'Arco de Hiroshima:'
    PRA MIM,O BEIJO na versão animada teve mais súbito porque os cabelos dela se moveram mais ao sabor do vento e do movimento;a pose mais alongada e os membros superiores e inferiores mais distantes em relação ao tronco,denotando que o apoio dela não estava tão firme,portanto mais impulsiva.
    E quanto ao cara,mudaram a camisa sobreposta para apenas uma solitária camisa,por ventura pode demonstrar mais as reações físicas devido a uma barreira física a menos e mostrando mais pele.Além do cabelo com mechas maiores,que talvez em algum(-uns quadros) quadro tenha tapado mais o olhar espantado.
    No cenário,o anime ainda teve mais detalhes e as cores ajudam bem nisso,porém não é o ponto desse caso.
    'Arco de Tokyo (ensino médio)'
    EU LEMBRO DESTA,VI E FALEI.A do manga estava mais bruta;ainda maior contundência nos sons (impressão) tornaria o instante mais enfático,visceral.Por outro lado o modo como ocorreu a abordagem,dava mais vazão as desculpas,se é que o anime se beneficiou dessa linha de pensamento.
    'Arco de Tokyo - Faculdade'
    JÁ COM O SUMIDO CENÁRIO,percebe-se uma subjetividade muito mais pronunciada no manga.Considerando ainda que olhos fechados por ventura identifique bem mais eles como iguais.E que o jeito mais desconjuntado do anime em que ele se deita,atesta estafa no lugar de cansaço e aproximação entre iguais,como mais ou menos comecei dizendo.
    'Comparação'
    Excetuando que o manga se apresenta com mais cenas e com uma pegada(puxada),a versão animada a traz mais próxima ao corpo de Haruto,porém as mãos não estejam tão firmes naquele segundo(Talvez para não a prender,já que ele vacilou(??) mais com ela no anime e dessa forma proporcione mais liberdade de escolha a ela.)
    AO POST:
    ESCOLHI FALAR JUSTAMENTE DO que não tinha esmiuçado -pelos motivos óbvios-,o que me permitiu dizer mais sem me confrontar -"Não tô fugindo da briga" :P-
    com seu aviso prévio e levantar crescentes hipóteses pra quem andou se especializando em Kimi no Iru Machi(Quem seria???),também comparar e interpretar por evidências de um momento particular.
    Eu não li a parte de "Arcos" ou de "Comparação",todavia vou confiar no que pude extrair de informação e no conhecimento de quem posta,portanto: ÓTIMO!Pra essa ocasião.

    PS.: Devo esperar algo de você em referência ao Fruis Basket.Se sim,o quê? -Não é uma pressão,e sim curiosidade ^^-
    E o que escrevi no princípio do meu comentário de " 30 setembro 2013 Radio do Jeguy Hope (#8) {http://raiburari.blogspot.com.br/2013/10/radio-do-jeguy-hope-8.html"} era pra você dois.Anyway eu repito pra tirar a dúvida => " # NOTA:
    CANÇÃO: youtube.com/watch?v=KFQmq68WJTU&hd=1,ED2 de Fruits Basket em inglês,tamanho compactado,slide aleatório e homenageando ao emotivo,cômico e soturno anime. "


    See you at next time!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grato pelo comentário, TAbibito. Promessa sempre foi dívida, hahahaha

      Este é um post que eu queria ter colocado mais empenho e fazer algo mais elaborado, mas no fim, ficou descritivo demais, diria que estou insatisfeito com o que eu mesmo tenho escrito ultimamente.
      Acho que as imagens que eu peguei foram incrivelmente de cenas boas do anime, as que tinham a tomada de câmera fiel ao mangá, isso pode ter dado uma ideia (errônea) que o anime é artisticamente mais belo que o mangá.

      Conheço algumas pessoas que começaram a ler o mangá depois do anime ter lançado, e muitos deles se surpreenderam com a qualidade superior da obra original. Não sou desses que dão preferência a obra original, tanto que certas obras eu até prefiro a adaptação à obra original, vulgo Clannad (gostei mais do anime do que da Visual Novel).

      Resposta ao PS: Pretendo assistir Fruits Basket, mas estou em decadência (para variar) em assistir animes, até andei discutindo sobre isso com o mestre Leandro Nisishima, pois ambos geralmente concordamos quando o assunto é animes.

      Grato por ler e comentar.

      Excluir
  2. Não sei se você publicou esse link, então vou postar aqui, o blog baka neko tem esse manga para baixar.

    http://www.baka-neko.net/

    ResponderExcluir
  3. Fiquei insatisfeito com um mangá de 261 episódios ser espremido em 12, mas o final em si não foi o problema.
    Seria natural haruto e a Yuzuki ficassem juntos, o vazio de suas vidas seria preenchido pela presença do outro.
    O encerramento do namoro do haruto com a Yuzuki seria o que Sartre chamaria de má-fé, um conceito que o individuo toma uma decisão diferente do esperado por não querer assumir o risco de determinada decisão, por exemplo a Yuzuki namorando o kazama por causa de sua doença. Ela não queria assumir a responsabilidade de abandonar sue amigo que estava doente e preferiu romper com o haruto, mesmo estando infeliz no relacionamento. Se kazama sobreviver, naturalmente Yuzuki o rejeitaria pq ela não gostava dele como namorado, ela estava claramente infeliz e se sacrificava para tornar seus últimos dias felizes, mas com kazaa fora de perigo, ela não teria mais o peso de ter que estar com seu amigo e sentiria o vazio da presneça do haruto.
    O Haruto nunca amou a Asuka de verdade, ele amava a Yuzuki, mas usou da Asuka como um suporte emocional para sua vida para preencher seu vazio, caindo no que o filosofo Martin Heidegger chamaria de inautenticidade.
    Seo não é um autor que coloca cenas psicológicas em seu mangá e prefere cenas dramáticas como a cena da lagoa do que cenas introspectivas igauis as de Evangelion, que fariam o personagem repensar suas atitudes, o que poderia levar ao personagem a mudar de comportamento. Que poderia embasar melhor a mudança de comportamento, mas diria que os personagens realmente sentiam a falta do outro como dando sentido para sua vidam, mas haruto sentiu angústia pq temia as consequências de suas ações que seria ferir a Asuka.
    Não acho tão loucura mudança de comportamento, Heidegger fala no apelo da consciência a cura, quando afastamos de nosso real projeto de vida para nos tornarmos uma pessoa totalmente diversa por várias questões.
    Talvez ficasse mais crível colocando haruto e a Yuzuki experimentando uma forte crise existencial para que mudassem de comportamento, os fazendo desejar se reaproximarem, como se a vida fosse um vazio sem sentido e buscassem um a presença do outro. Mas talvez os leitores gostassem menos e as cenas dramáticas da lagoa ficassem melhor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Minha principal reclamação não é que ele tenha deixado a Asuka, é que na versão animada eles santificam a atitude dele. Eu estou ciente que "devemos seguir nossos corações" etc... mas o problema em questão, é que quando eu li o mangá eu sentia uma certa tensão moral nas cenas em que a Yuzuki e o Haruto passaram tempos juntos enquanto ele namorava a Asuka. No anime por outro lado eles direcionam a cena de forma em que deveríamos aplaudir amor dos dois, quando na verdade o que ele tava fazendo era nada mais nada menos que uma traição.

      Excluir
  4. Haruto nunca teve a real intenção de permanecer com a Asuka e quando reviu Yuzuki seus sentimentos por ela que estavam adormecidos floresceram novamente por mais que ele tentasse negar, Asuka era mais um suporte emocional depois do que aconteceu com ele enfrentando o distanciamento da Yuzuki e a culpa pela morte do kazama.
    O parque foi apenas para rin mostrar o quão estúpido era à autonegação dos sentimentos de Haruto por Yuzuki.
    A falha de Seo foi forçar a coincidência, o melhor seriam os dois se procurando para reatar seu relacionamento porque eles se amam. Poderia ter evitado a Asuka e ambos terem permanecendo solteiros até que Yuzuki procurasse haruto e ambos reatassem, ela se arrependendo de sua escolha de se afastar do haruto..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu concordo, o mangá deixa isso bem claro depois. Mas eu acho que o Seo caprichou demais no arco do Haruto com a Asuka. Exatamente como você mesmo disse

      Excluir