-->

11 abril 2015

Palpitando - Ore Monogatari - 1



A temporada de primavera deste ano (2015) chegou com muita força e nos trouxe animes que prometem agradar os mais diversos gostos, no entanto, quem já leu meus textos neste blog deve estar ciente que tenho um apego forte a animes do gênero Romance, e nesse quesito a temporada não peca nem um pouco, os lançamentos incluem títulos como Yahari Ore no Seishun Love Comedy wa Machigatteiru Zoku (ou Oregairu), Nagato Yuki-Chan no Shoushitsu e Ore Monogatari. Pretendo expor minha opinião sobre todos os animes citados anteriormente, no entanto, por hora darei ênfase ao recém lançado Ore Monogatari produzido pelo grande estúdio MADHOUSE.


Ore Monogatari conta a história de dois amigos de infância: Gouda Takeo, um rapaz alto (2 metros de altura aproximadamente), forte e "bruto", no entanto dono de uma bondade imensurável; e Sunakawa Makoto, um rapaz tranquilo, sério, e atraente (aparência mais convencional de mocinho). Em todo o histórico de sua amizade Gouda teve de enfrentar um triste fato, todas as meninas que gostou já estavam apaixonadas por Sunakawa (e por motivos até então desconhecidos ele sempre as rejeitava),  após alguns anos convivendo com isso Gouda acabou se conformando com esta realidade. Um certo dia no caminho para a escola ambos salvam uma garota, Yamato, de um pervertido e, após alguns encontros e desencontros, Gouda se vê apaixonado pela moça mas teme que ela goste de Sunakawa. Seria este o início de um triângulo amoroso? Quais são os verdadeiros sentimentos de Yamato? Só o tempo e mais episódios nos dirão.



Primeiros episódios costumam ter a missão de apresentar o cenário, história e personagens, por isso é de se esperar que eles não possuam grandes viradas no roteiro que prendam muito a atenção do expectador. Ore Monogatari foi fiel a este modelo e poderia ser considerado pouco cativante como muitos outros primeiros episódios de animes, porém, a fluidez dos acontecimentos compreendida por momentos "fofos" intercalados com boas piadas, somado a ótima produção (músicas muito boas) e interpretação dos dubladores (seiyuu) tornam este início muito agradável e promissor. Seu humor inocente, que ocorre principalmente quando vemos a ingenuidade e  gentileza excessiva de Gouda, até me faz lembrar da Sawako de Kimi ni Todoke, é simplesmente perfeito, uma das minha cenas favoritas do episódio é quando ele volta do banheiro com a cabeça encharcada de água e está pensativo sobre seus sentimentos por Yamato. Ela fica desesperada ao ver a cena e começa a enxuga-lo com uma toalhinha, mas como é muito baixinha comparada a Gouda acaba tendo que pular repetidamente para alcança-lo, esta cena por si só não teria a menor graça se não fosse pela "seriedade" dele pensando nos sentimentos por ela e ficando indiferente ao desespero dela.

Gouda é um personagem muito cativante conseguindo nos fazer rir diversas cenas como a citada acima (os flashbacks dele criança são hilários também) e tendo alguns momentos tocantes (cena final), sua aparência e deselegância fazem dele um personagem incompreendido. Isto me lembra (um pouco) até de Hikigaya de Oregairu (que é um personagem menos ingênuo e mais amargo em geral), curioso que Eguchi Takuya dubla ambos os personagens, um fato surpreendente visto a diferença de tonalidade entre os personagens, além de possuírem uma voz característica que chega até a ter "vida".



Sunakawa é um personagem divertido e com uma boa presença na história, seu dublador/seiyuu é Shimazaki Nobunaga cujos trabalhos anteriores que eu conheço são Kaito de Ano Natsu de Matteiru e Shidou de date a live, dois personagens alegres e gentis que entram em total contraste com Sunakawa e sua atitude séria e fria. Apesar de parecer uma escolha errada, o seiyuu que sempre trabalha com meninos "bonzinhos" conseguiu interpretar Sunakawa de forma convincente.

Agora vem algo que eu vi muitos reclamando nos comentários da PV, Han Megumi como Yamato. Aparentemente o principal problema é a voz SUPER FINA que ela usou para dublar Yamato, e eu vou admitir, em certos momentos isto chega a incomodar mesmo, mas podemos usar deste argumento para dizer que ela foi uma escolha infeliz para o papel? Claro, todos somos livres para criticar, atacar e crucificar quem quisermos, NO ENTANTO, eu ainda acredito que não foi uma escolha errada, basta lembrar de sua ótima interpretação de Hanano em Chihayafuru II, e convenhamos que nos momentos sérios de Yamato sua atuação é de extrema competência. E vale lembrar que este tipo de atuação (voz fina) é uma decisão que não cabe somente aos seiyuus, existe uma grande influência dos diretores e produtores em cima disso, por isso vamos parar para pensar antes de atacar as pedras.



Eu vou confessar que li o começo do mangá faz uns anos, por isso tenho uma noção da direção que o anime tomará, mesmo assim consegui me emocionar o suficiente neste primeiro episódio para querer acompanha-lo até o fim. Considero Ore Monogatari um anime que soube neste curto início tirar alguns vários sorrisos de mim e acho que todos que gostam de comédias românticas como Kimi ni Todoke e Lovely Complex deveriam se juntar ao movimento e se emocionar ao meu lado.

Semana que vem escreverei as impressões de Yahari ore no Seishun Love Comedy Wa Machigatteiru.

Grato pela atenção e uma ótima atenção a todos.


Nenhum comentário:

Postar um comentário