-->

07 outubro 2013

Fim de temporada - Resenha de "Kimi No Iru Machi (TV)"



  • Título: Kimi no Iru Machi
  • Ano: 2013
  • Número de episódios: 12
  • Autoria: Seo Kouji
- OP: Sentimental LOVE por mimimemeMIMI
- ED: Kimi no iru Machi por Hosoya Yoshimasa e Dear Friend por Ono Daisuke

Leia minhas primeiras impressões do anime AQUI

Bom começo de semana a todos, Kico7 falando. Depois de duas semanas de folga, volto falando de Kimi no iru machi, um dos animes de romance da temporada. Quem leu minhas primeiras impressões da obra já sabe que sou grande fan da obra original (mangá), mas também sabem que houveram alguns fatores que me deixaram desconfiado. Primeiro o estúdio Gonzo sendo o responsável pela adaptação; Segundo, foi escolhido o arco de Tokyo como "início" do anime.

Kimi no Iru Machi, como já dito, é um anime de romance, com doses alternadas de drama e comédia, algo que lembra muito bem Suzuka, obra do mesmo autor. Assim como seu antecessor, Kimi no Iru Machi se destaca por trabalhar bem o relacionamento do casal principal com um clima semelhante ao de uma novela, ou seja, muitos obstáculos a serem superados até que ambos possam ficar juntos. Apesar de parecer algo ruim, o mangá conseguiu compensar isso com objetividade na história e bons momentos emocionantes entre os personagens.

Esboçando levemente como será o texto, primeiramente falarei do anime como leigo e depois como fan do mangá (com prováveis spoilers).



Kirishima Haruto por Hosoya Yoshimasa


Mishima Asuka por Sakurai Ayane


Eba Yuzuki por Nakajima Megumi


Relembrando o básico: Kirishima Haruto, um aluno do Ensino Médio, acabou de se mudar de Hiroshima para Tokyo e começou a viver no apartamento de sua irmã. Após se acomodar, ele fez amizade com dois colegas de classe,  Kazama Kyousuke, um mulherengo tarado, e Mishima Asuka, sua animada vizinha. Ambos os seus novos amigos gostariam de saber o motivo de Haruto ter escolhido transferir de escola no meio do ano, assunto que ele sempre procura evitar. Com o tempo, Asuka passa a se preocupar com a expressão triste sempre feita por Haruto e passa a tentar ajuda-lo na adaptação a vida na cidade.


Leigo:



Narrativa no "presente"


Após assistir 90% do primeiro episódio com a impressão que Asuka é a mocinha, descobrimos que a verdade é outra. Haruto na realidade foi para Tokyo a procura de sua namorada, Eba Yuzuki (a mocinha na capa do anime), com quem perdeu contato repentinamente tempos atrás, o que o deixou preocupado. Yuzuki protagoniza o segundo episódio, mostrando em um flashback como ambos se conheceram em Hiroshima no passado. Após isso, o anime passa a dividir seus episódios em duas partes, uma, com Asuka como mocinha, contando os acontecimentos em Tokyo no presente e outra, com Yuzuki como mocinha, contando o desenvolvimento de seu romance com Haruto em Hiroshima.

Após o fim desta parte do anime, os flashbacks acabam sem prévio aviso e sem muita lógica, visto o conteúdo que deixaram em aberto e sem nenhuma explicação. Por exemplo, como foi que a relação deles acabou? Como Haruto chegou a uma decisão tão brusca de mudar de cidade? Dentre muitas outras.


Cenas no "passado" (Flashback)


Ignorando este detalhe, a história continua, após um salto no tempo de 2 anos, Haruto agora está na universidade e vivendo pacificamente. No entanto, alguns acontecimentos o levam ao encontro com o passado, de forma que ele questione a felicidade e progressão que tanto acreditou ter em sua vida nesses anos passados. Fui o mais indireto possível neste fragmento para evitar spoilers, mas logo aviso que a própria música de abertura (OP) do anime já entrega fortes fragmentos futuros, inclusive o final, da história. Para isso basta analisar as expressões tristes e os sorrisos que as heroínas, Yuzuki (sorrindo) e Asuka (chorando), e o herói Haruto (sorrindo...) fazem.

Quem leu a letra da música de encerramento, cantada por Hosoya Yoshimasa (dublador de Haruto), entenderá o que ocorreu no "fim" da relação de Yuzuki com Haruto. Não é muito produtivo conhecer a trama através de uma letra de música tema, quando o anime poderia ter ao menos explicado isso melhor. O ponto nesta reclamação é a incoerência e falta de explicações nos pulos no tempo e omissões de acontecimentos importantes da história, deixando muitos (muitos mesmo) buracos em aberto. A letra na música de encerramento é muito boa, cheia de implícitos e expressões dos sentimentos finais de Haruto antes de se mudar para Tokyo, tal letra se encaixaria em uma cena mostrando exatamente o momento citado, no entanto, os flashbacks acabaram sem terem uma própria conclusão.


Segunda parte do anime


Descrevendo as duas partes do anime, a primeira (Flashback de Hiroshima e vida em Tokyo) possui um clima bem melancólico no "presente" e muitas piadas no "passado" (Flashback, não muito engraçadas pela música ser inexplicavelmente triste até nestes momentos. A segunda parte é controversa (explicarei isso melhor quando falar do mangá), a história explica bem brevemente a nova vida de Haruto, seguido de uma suposta reviravolta, fazendo com que ele veja "infelicidade" em sua vida e tome decisões muito questionáveis mascaradas por "músicas fofas" e discursos sentimentais de "sinceridade".

Se alguém lembra do polêmico anime School Days, que foi um dos marcos na blogosfera dos animes em sua estreia (2008), verá algumas semelhanças. School Days foi um anime que mostrou algo raro em animes, um protagonista infiel, egoísta e irresponsável, o Makoto. Haruto, de Kimi No Iru Machi, não chega tão longe quanto Makoto (dormir com todas as personagens da série), com ele é menos exagerado, mas ainda assim algo do gênero ocorre. O diferencial em Kimi no Iru Machi é o próprio anime defender bravamente a decência de Haruto. Nos momentos em que Haruto toma atitudes reprováveis, a trilha sonora e o roteiro procuram fazer com que tudo pareça belo, com melodias e cenários coloridos e alegres. Tudo tem uma explicação e justificativa dada pelo mesmo mais tarde, mas ainda assim, não dá para admirar e tentar seguir o exemplo dele. Comentando parcialmente, aquilo foi apoiar e aprovar um ato infiel.


Cena de infidelidade em School Days (para relembrar)


Concluindo o que o anime passou, desconsiderando o mangá, temos alguns vários pontos negativos e uns poucos positivos. As ideias passadas e defendidas são fortemente questionáveis, a história é quebrada e sem aprofundamento. Some isso com a produção não muito rica, com cenários pobres, ângulos de câmera estranhos (eles deixavam a imagem no nariz do personagem) e cenas em que os personagens falam com suas bocas imóveis. O resultado não será muito bom. O que tenta salvar o anime é a interpretação dos dubladores, que mostraram esforço e as músicas tema, sendo realmente emocionantes, com destaque a OP e a primeira ED. Pode ser difícil acreditar, mas eles contam a história muito melhor que o próprio anime. De resto, não há muito a ganhar assistindo Kimi no Iru Machi. Sugiro que assistam outros romances da temporada, como Kami nomi Zo Shiru Sekai (The World Only God Knows) Megami-hen, que comentarei a respeito em um futuro próximo.

Com isso acabo a parte de "leigo" da resenha, em breve soltarei a versão "de fan", com spoilers e comparações com o mangá.

Até a próxima


5 comentários:

  1. ^.^ Kico7!


    ESTRANHEI O NOME DE Ono Daisuke;até que vi ser o dublador de Kyousuke Kazama{Supporting},o... Querido Amigo{"Dear Friend"} de Kirishima Haruto{Hosoya Yoshimasa}?Mas tirando o detalhe que não é de amigo para amigo,não é o amigo encorajador(e como teve de ser) na novela Suzuka,a qual definiu em ritmo díspar ao Kimi no Iru Machi de com seu(seu mesmo) receoso "Arco Tokyo",mas dum padrão no "Relembrando o básico:" cujas as alterações ali e aqui,sabemos como se parece ou não com o mesmo Suzuka.
    SOBRE A ED2 EM SI: Fotos de lugares reais(Será Tokyo ou a cidade dos flashbacks?),figuras do manga(Pareceriam-se com capas) e andanças dos ilustres personagens(Talvez se cada um fosse na direção da própria imagem,teria simbologia mais óbvia,porém não deixo de pensar ainda em singelas simbologias.).Já na música,achei melhor a ouvir em volume mais alto,parece mais expressivo.
    LEIGO:
    UMA OP QUE ENTREGA;melhor ser depois que tudo aconteça ou claros realmente a quem leu o manga,porém a clareza de sentimentos mencionada não dá a entender muito isso.E como é que costumam chamar esse tipo de orientação em relações??Esqueletos no armário...
    E A ED,lembro dela sendo melancólica(Como esperado),mas masculina(inesperado).Histórica,não?
    AINDA LEMBRO DE "PIADAS TRISTES",tipo... música triste mesmo na graça: tragicomédia??Já isso é que parece ser uma troca,"tome decisões muito questionáveis mascaradas por "músicas fofas" e discursos sentimentais de 'sinceridade'",diferente troca.
    2008,UM ANO DE OURO DOS animes ou tipo isso?E ele tinha a fama de passar o rodo e chegando nos finalmente(uma das primeiras e últimas vezes,é uma prerrogativa... acho).Acho que você levou pro lado pessoal,o destruidor de corações,sendo apoiado pelo contar da história. :-p

    CONCLUINDO,FICOU DIFERENTE da objetividade que exaltou nos primeiros parágrafos: o vai e volta das memórias e cidades e as peças espalhadas do quebra-cabeça da visão do diretor são bastante subjetivas,contrariando em teoria muito da sua perspectiva,TROLOU.
    CONTINUAMENTE REEXPLICAR e preencher os fatos com temas musicais é bem diferente/esquisito,quando não teria no resto do anime,ou seja,spoilers em OPs/EDs e não fatos inéditos e lembretes que ganham maior sentido a cada vista.
    SUPOR QUE A DIREÇÃO FOI de uma genialidade excêntrica & original com os cifrões que possuía ou um esforço de baixo custo,penso não te convencer nem um pouco.E olhando em relances,Kimi no Iru Machi por muitas vezes ou talvez pela falta de costume com esse estilo,o anime me vem bonito,todavia uma beleza de menor fluidez que se estampa como uma "natureza morta",faz-te sentido?
    AO POST:
    ENTÃO VAI CONSEGUIR fazer dois tipos do mesmo post?Nessa versão leiga penso que assinalar como ÓTIMO,preencheria a sua visão do todo,isto é,O SEU ÓTIMO.Pois andei vendo curtas(mas diversas) opiniões por aí e eles gostaram tanto e comentaram bastante em sites para assistir online.

    # BÔNUS: http://www.youtube.com/watch?v=IvXImnEbqdo Chamado de "What is Your Favourite version of the 'School Days Opening?'E como diz a descrição do usuário AkiratheWhite : "Caso você esteja se perguntando, estas são do jogo. O anime tem a sua própria abertura, mas desde que a música é completamente diferente, optei por não incluí-lo."
    Tomara que não enjoe,e se conhecer,foi pra realçar o instante que citou School Days na postagem.


    See you at next time!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Anônimo, sim o Kyousuke é um amigo encorajador e até parece com o amigo de Akitsuki em Suzuka, o Yasunobu. No entanto, apesar do design e personalidade serem similares, Kyousuke tem um "charme" diferente, pois ele se torna um personagem de MUITo impacto no arco em questão. Sobre a ED cantada por ele, tais fotos são de Tokyo mesmo, o local onde ELA mora (Kimi no Iru Machi).

      Realmente ocorrem fortes diferenças de clima no anime, se no começo as piadas eram cobertas por melancolia (algo que não citei nesse post em especial, erro meu), no final eles colocaram belas músicas para mascarar escolhas e aatitudes questionáveis no conceito básico de fidelidade.

      Incrível, sim, 2008 foi um ano de ouro pros animes em minha opinião, todas as obras que vi no ano achei geniais. Como Clannad, ef, etc. (já citei isso em outro post, não?)


      Esse é um anime que eu teria dificuldade de ser "imparcial" Tabibito, não pude evitar de não levar para o lado pessoal. Ainda não comparei com o mangá, farei isso na semana seguinte creio eu, mas no mangá, aqueles momentos me pareciam tensos e questionáveis (eu imaginava assim a cena pelo menos), no entanto, o anime omitiu muita coisa para defender o protagonista e colocou músicas lindas em momentos TOTALMENTE questionáveis.

      Natureza morta? Talvez, o que mais achei fraco foram os ângulos de câmera e cenários estranhos também.

      Bônus: School Days... wow. Não enjoei não, apesar de não ser muito fan das músicas (todas) de School das

      grato pelo comentário TAbibito, até a próxima

      Excluir
  2. Cara parabéns pelo post completíssimo. Sou redator do animecodex.com.br e estava preparando um texto de review sobre Kimi no Iru Machi quando me deparei com seus textos sobre essa obra (sim, voltei até o post de primeiras impressões para reler sua opinião). Discordo só um pouco quando o compara com o Itou de School Days, aquele protagonista tinha vários problemas de personalidade, porém, não questionando os problemas do Haruto que também possui alguns. School days a meu ver teve uma pegada muito mais polêmica, mais radical e sádica, enquanto Kimi no Iru Machi segue a linha drama/romance quase a risca. Exceto por poucos desvios de conduta, a meu ver nem no mangá Haruto se aproxima de Itou. Mas enfim, novamente parabéns pelo texto e aguardo a versão de fan, abordando as diferenças do mangá (que para mim, já deveria ter terminado devido ao enfraquecimento e perda de ritmo). Até o/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grato pelo elogios e por nos visitar. Mashiro Moritaka, o senhor blogga junto com algum Takagi também????

      E sinto muito a comparação infame, de fato o Makoto tem sérios problemas que o Haruto não tem, no caso do Haruto foi mais indecisão e um pouco de imaturidade, enquanto com o Makoto foi falta de caráter mesmo. Quis fazer uma referência ao maior anime sobre infidelidade que já vi, e minha ideia era dizer que algo que me deixou incomodado em Kimi no Iru Machi foi a tentativa do anime de santificar o Haruto mesmo ele fazendo coisas moralmente e eticamente erradas. No caso do Makoto, a narrativa o condenava junto com as várias mulheres que ele usava e abusava, com o Haruto foi o contrário, a narrativa e a trilha sonora do anime o defendiam fortemente, tentando passar a ideia de "Isto foi uma cena fofa, venerem o rapaz jurando amores para a ex-namorada enquanto a namorada não está presente!".

      A versão fan eu espero conseguir sair este fim de semana ainda, estou com uns pequenos problemas na faculdade, então o rascunho ainda está ligeiramente travado.

      Grato pelo comentário

      Excluir
    2. Observação: visitei o animecodex e não sei qual deles é o senhor. Qual o seu nick por lá?

      Excluir